QREN: Novo programa para apoiar parcerias em territórios desertificados agrada a autarcas do Vale do Côa

Autarcas do Vale do Côa mostraram-se optimistas em relação aos objectivos do PROVERE - Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos, apresentado em Vila Nova de Foz Côa pelo secretário de Estado do Desenvolvimento Regional.

 

 

Segundo o governante Rui Baleiras, o programa que será financiado através do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), visa promover parcerias entre agentes económicos para estimular o desenvolvimento de territórios desertificados.

O PROVERE não tem dotação própria mas pretende estimular a cooperação e facilitar o acesso aos fundos comunitários em regiões de baixa densidade populacional, através do QREN e dos programas de Desenvolvimento Rural e das Pescas.

Este programa corresponde às intenções dos autarcas da região, que receavam que alguns projectos previstos para os dez municípios do Vale do Côa pudessem não ser executados devido à alteração das regras de contratualização dos apoios comunitários, decidida pelo Governo.

As regras definem que a contratualização dos projectos ao QREN só poderá ser feita por associações de municípios agrupados em unidades estatísticas de nível III (NUT`s III), sendo que uns municípios pertencem à Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional (CCDR) do Centro e outros à do Norte.

O presidente da Câmara de Vila Nova de Foz Côa, Emílio Mesquita, referiu que os dez municípios do Vale do Côa - Foz Côa, Almeida, Pinhel, Trancoso, Meda, Sabugal, Figueira de Castelo Rodrigo, Mogadouro, Freixo de Espada à Cinta e Moncorvo - poderão "gerar o seu desenvolvimento" se aproveitaram as capacidades novo programa, que qualificou de "muito interessante".

"Nós autarcas, sentimos que é chegada a hora de fazermos uma aposta mais directa para o desenvolvimento da economia, da criação de emprego e de riqueza", declarou.