Foz Côa acolhe estrelas europeias da sétima arte até domingo

O presidente da Câmara de Vila Nova de Foz Côa defendeu hoje que o Festival Internacional de Cinema Cinecôa poderá ser um dos maiores eventos culturais da região do Douro Superior  nos próximos anos.

"A aposta neste tipo de realizações culturais tem apenas um objectivo: o de trazer pessoas à região do Douro Superior, de forma a potenciar os  seus elementos culturais, naturais, arqueológicos ou vinícolas", realçou  à Lusa Gustavo Duarte.

O Cinecôa vai decorrer em Vila Nova de Foz Côa entre quinta-feira e domingo e pelo certame vão passar nomes sonantes do cinema europeu.

Gustavo Duarte destaca a colaboração dos convidados para o evento, aos  quais foi dada "carta branca" para a escolha de dois filmes a exibir no  decurso do Cinecôa.

O orçamento estimado para a realização do Cinecôa ronda os 15 a 20 mil  euros, o que permitirá exibir naquela cidade do Douro Superior mais de 20  filmes, 10 rodados na região duriense.

Outra das sugestões deixadas pelos organizadores do Cinecôa aos amantes  da sétima arte, que se desloquem ao festival internacional de cinema, passa  por um viagem de comboio com início na Estação de São Bento (Porto) e com  chegada à última estação da Linha do Douro, situada no Pocinho.

Os responsáveis pela iniciativa garantem uma viagem "deslumbrante",  estando previsto um "desconto de 40 por cento" para os espectadores que se  deslocarem ao festival e utilizarem o comboio como meio de transporte.

Uma homenagem a Manoel de Oliveira é a principal aposta do primeiro  Cinecôa, já que se espera a presença do realizador e a exibição de algumas  das suas obras.

"Douro, Faina Fluvial" (1931), "Vale Abraão" (1996), "Viagem ao Princípio  do Mundo" (1996) e "O Estranho Caso de Angélica" (2010) foram os filmes  de Manoel de Oliveira seleccionados para o festival.

A programação do festival incluirá ainda três obras do realizador António  Reis, entre as quais "Trás-os-Montes" (1976), e um ciclo de "filmes concerto",  com películas dos irmãos Lumire e de Charles Chaplin.

Neste ciclo, a exibição do filme "Maria do Mar" (1930), de Leitão de  Barros, será acompanhada ao vivo por Bernardo Sassetti (piano) e Filipa  Pais (voz).

Documentários e sessões infantis integram também o programa do primeiro  Cinecôa, que incluirá ainda a exibição de filmes realizados pelo artista  plástico hngelo de Sousa, numa colaboração com o diretor do Museu de Serralves,  João Fernandes.

Os filmes que integram o Cinecôa serão projectados no Auditório Municipal  e no Museu do Côa.  

Com Lusa