Protocolo tripartido trava duplicação de serviços de saúde em Vla Nova de Foz Côa

 

Um protocolo assinado hoje entre a ULS Nordeste, a Cruz Vermelha e a Câmara de Vila Nova de Foz Côa vai permitir melhorar os cuidados de saúde naquele concelho e evitar duplicação de serviços, disse fonte autárquica.

 
"Este protocolo tripartido vai permitir, para além dos atos isolados de enfermagem, que visam estabelecer proximidade das populações com os profissionais de saúde, uma intervenção mais alargada dos cuidados de saúde a doentes crónicos, doentes dependentes, ou crianças e idosos", afirmou à Lusa o presidente da autarquia de Foz Côa, Gustavo Duarte.
 
Por outro lado, o protocolo prevê manter a atividade regular de apoio aos serviços de saúde pública e de assistência sanitária a cidadãos em situação de desvantagem psicológica, física, social e familiar, bem como à população em geral, através da Unidade Móvel de Saúde, no âmbito do Projeto Municipal Saúde Sobre Rodas.
 
"Atendendo que há duplicação de serviços de saúde no concelho prestados pela Centro de Saúde de Foz Côa e pelo Núcleo da Cruz Vermelha do Côa, que era importante otimizar recursos e ao mesmo tempo economizar verbas", acrescentou o autarca.
 
Agora caberá ao núcleo do Côa da Cruz Vermelha prestar os cuidados de saúde de proximidade e encaminhar todos os elementos recolhidos para o centro de saúde local, de forma a haver uma conjugação de esforço entre as entidades envolvidas.
 
Os cuidados passam pela área clínica e de enfermagem, apoio domiciliário, vigilância de Programas de Saúde (diabetes, hipertensão, colesterol, ácido úrico, entre outros) ou vigilância do estado de saúde de idosos, prestar cuidados a acamados, proceder a rastreios, a análises clínicas. 
 
Todos os cuidados de saúde previstos pelo protocolo assinado entre as três entidades, estabelece "que no mínimo uma vez por semana, disponibilizando os técnicos de saúde necessários para a realização das referidas atividades, respeitando a formação académica e profissional exigida para o efeito".